Entenda sobre o acorde quartal e suas aplicações

3 minutos para ler

Você sabe qual é o impacto do acorde quartal nas composições e instrumentos musicais? Esse tipo de acorde apresenta uma sonoridade diferente e pode enriquecer bastante os arranjos e a harmonização das músicas.

O objetivo é, justamente, montar acordes utilizando intervalos de quarta. Esses intervalos podem ser de terça maior ou menor, formando acordes maiores, menores, maiores com sétima maior e menor, entre outros.

Acompanhe a seguir e entenda mais sobre o acorde quartal e suas aplicações!

Entenda mais sobre o conceito de acorde quartal

No geral, os acordes quartais consistem em intervalos de quartas que não apresentam cifragem específica. A formação da harmonia quartal é estruturada em: escala diatônica, quarta justa e quartas híbridas. Sendo assim, a sonoridade dos acordes se torna muito mais rica e sofisticada.

Uma forma de aprender mais sobre a harmonia quartal é utilizando o seu conceito em cima de alguma canção que você gosta, por exemplo, em um momento que o acorde permanece estático por algum tempo. Assim, será possível experimentar recursos interessantes e diferenciados para que suas composições tenham autenticidade e criatividade.

Saiba como funciona o acorde quartal

O acorde quartal é formado por intervalos de quarta justa que apresenta dois tons e meio. Assim, o acorde quartal é gerado por meio de qualquer nota da escala que está associada ao acorde. O músico deve adicionar a nota uma quarta acima dela.

Esse tipo de abertura funciona bem em acordes menores ou em acordes dominantes em que seja usada uma sonoridade suspensa ou pentatônica. Por exemplo, no acorde C7M, que apresenta as notas C, E, G e B, a distância entre C e E é de dois tons. Entre E e G, existe um tom e meio, e entre G e B, dois tons. É possível fazer o teste para todos os acordes de um campo harmônico maior, mesmo com os intervalos de terças. 

Descubra quais são as aplicações do acorde quartal na música

A harmonia quartal mais comum ocorre quando o músico toca vários acordes quartais enquanto outro instrumento está fixo no mesmo acorde. Por exemplo, se a composição se baseia no acorde de ré menor, é possível utilizar o modo grego e tocar todos os acordes quartais gerados a partir dele.

Assim, basta se localizar em relação à escala maior para descobrir quais são os acordes gerados. Como resultado, o próximo acorde será menor com quarta adicionada, localizado um tom acima desse acorde.

O mais bacana é que a harmonia quartal também serve para solos. Assim, se você deseja manter apenas os intervalos de quarta justa de uma escala maior, o ideal é criar uma escala pentatônica para ser utilizada nos solos e, com isso, obter a característica quartal.

Ter conhecimento do acorde quartal pode transformar inteiramente a sua experiência musical. Além de oferecer um som sofisticado e diferenciado, tais acordes podem propiciar músicas irreverentes e inéditas que, certamente, chamarão bastante a atenção do público.

Gostou do conteúdo? Aproveite e compartilhe o post em suas redes sociais para que estas valiosas informações alcancem ainda mais pessoas!

Você também pode gostar

Deixe um comentário