Tipos de palheta: como escolher a ideal para você?

4 minutos para ler

Se você é guitarrista ou violonista, sabe que encontrar os melhores tipos de palheta faz total diferença para sua performance. É bom lembrar que, quando não tocamos com os dedos, a palheta é o único ponto de contato entre sua mão e as cordas.

Logo, tal qual os violonistas clássicos têm um enorme cuidado com o tamanho e a resistência de suas unhas, também é preciso conhecer os diferentes tipos de palheta para escolher a que mais atende ao seu jeito de tocar.

Para ajudar você, elencamos aqui alguns pontos essenciais na hora da escolha de sua palheta!

Espessura

O primeiro ponto na hora de escolher os tipos de palheta é saber qual o seu objetivo.

Por exemplo, se você quiser fazer um solo ou improvisação, as palhetas médias ou grossas são ideais, porque não são tão flexíveis e ajudam a controlar mais o ataque das notas. Já para acompanhamento, uma palheta mais fina é uma boa opção.

Além da técnica, a espessura da palheta também influencia o resultado do som ― mais aveludado, seco, brilhante etc.

Quanto à espessura, palhetas são separadas em:

  • palhetas leves (ou finas): 0,40 mm a 0,63 mm ― mais indicadas para violões com cordas de nylon;
  • palhetas médias: 0.63 mm a 0.85 mm ― ideais para violões de aço e guitarras;
  • palhetas pesadas (ou grossas): 0.85 mm a 1.22 mm ― são ideais para riffs e solos de guitarra, bem como violões com cordas de tensão maior.
  • acima de 1.22 mm ― muito utilizadas por baixistas e guitarristas com a pegada muito forte

Tamanho

O tamanho da palheta precisa se ajustar ao formato da sua mão e, claro, responder ao som desejado. Há quem goste de palhetas um pouco maiores, com mais firmeza, evitando o contato dos dedos com as cordas do instrumento. Outros, são fiéis aos tamanhos menores, pois ganham mais mobilidade e leveza.

Porém, o tamanho varia conforme o estilo de música que você vai tocar e a própria técnica utilizada. Às vezes, é bom ter mais de um tamanho de palheta à mão, conforme o repertório que você vai executar em cada parte do seu estudo/apresentação.

Formato das pontas e do corpo

As palhetas têm formatos de pontas diferentes. Para escolher a ideal, mais uma vez, depende do seu objetivo e ― mais ainda ― das características do violão ou guitarra.

Basicamente há 2 tipos de pontas:

  • arredondadas: melhor para fazer ritmo e batidas;
  • pontudas: melhora o ataque individual das cordas, o que dá mais clareza para os solos.

Além disso, o conforto e a firmeza da palheta também vêm com o formato. Algumas têm uma parte côncava, que dá apoio aos dedos. Outras vêm com ranhuras que evitam escorregar com o suor. Outras, ainda, tem formatos “diferentões” para dar graça e estilo.

Tipo de material

Por fim, os materiais são a cereja do bolo, pois não apenas vão oferecer durabilidade à palheta, mas, principalmente, influenciar o som. Veja os mais comuns:

  • celulose: são as palhetas mais comuns, baratas e não muito resistentes. Ótimas para quem deseja uma textura sonora mais abafada;
  • madeira: a qualidade do som varia conforme o tipo da madeira, mas normalmente é mais abafado, porém único e agradável;
  • metal: são palhetas mais “vintage”, difíceis de encontrar, especialmente porque o custo é mais alto e o som resultante, bem estridente e agudo ― oposto da celulose;
  • pedra: são bem mais raras até que o metal. O som consegue ser ainda mais estridente. No entanto, colecionadores adoram;
  • plástico: é o material quase universal das palhetas, tanto por conta do custo mais baixo quanto do resultado sonoro, mais natural;
  • vidro: também muito raras de encontrar, as palhetas de vidro oferecem um som bem limpo. O que vai influenciar o resultado é a maneira como são produzidas.

Aqui você conheceu os diferentes tipos de palhetas e suas características. Apesar das nossas indicações, não existe uma fórmula exata de escolha. Então, a melhor recomendação é que você teste várias e veja qual delas se encaixa melhor para seu gosto, técnica e anatomia da mão. Encontre a sua em nosso site!

Quer ter novidades e dicas do universo da música em primeira mão? Assine já nossa newsletter!

Você também pode gostar

Deixe um comentário